quinta-feira, 22 de maio de 2014

"Diário da nossa paixão" / Segunda Sequência (Pormenores) - Capítulo I

Sentei-me ao lado dele, algo que costuma ser vulgar para as pessoas no dia-à-dia, porém, não me limitei  a sentar. Coloquei discreta e calmamente a minha mão sobre a dele, e naquele momento, por entre uma troca de olhares e um leve sorriso, ambos soubemos que aquele simples gesto carregava todo o amor do mundo. Nenhuma palavra foi pronunciada, apenas um silêncio que outrora  fora constrangedor, embalou o momento, de forma nada constrangedora, mas sim sublime.
Sei que normalmente não se é dada tanta importância a simples coisas que nos acontecem no decorrer dos dias, porém acho que começo a tomar atenção ao mais pequeno pormenor. Explico porquê. Antes, talvez não soubesse responder a metade das perguntas que me fizessem acerca de como tinha corrido o dia e do que tinha feito, por distracção ou por mera falta de interesse, não notava as pequenas coisas que a vida me ia oferecendo sem pedir nada em troca. Agora, alguém parece ter trazido todo o interesse pela vida que eu à muito precisava. Agora reparo em cada gesto, em cada olhar... em cada gargalhada que se solta ao ouvir aquela piada que mesmo não sendo engraçada, acaba por nos fazer rir até ficar sem ar. Reparo nas pequenas coisas da vida, coisas essas que são magníficas só por existirem.
O pormenor que hoje me ficou na memória foi a simples sobreposição de duas mãos, o toque entre dois corpos distintos, o mesmo pensamento que surgiu ao mesmo tempo em duas mentes, a cumplicidade de um olhar e a ternura de um sorriso. Presentemente vivo num mundo melhor, desde que Ele me ensinou a não perder nenhum momento.

(texto fictício)

Sem comentários :

Enviar um comentário