quinta-feira, 2 de maio de 2013

"Diário da nossa paixão" - parte VII

Depois do dia atribulado de ontem, hoje acordei com mais coragem para enfrentar tudo com um pouco mais de animação. Durante toda a manhã andei ocupada com arrumações, com tantas confusões nem me tenho lembrado que tenho coisas para fazer em casa e que o quarto não se arruma sozinho. Enfim, tive uma manhã atarefada. Tirando isso, estava bem e enquanto arrumava não pensava na infelicidade do dia anterior. Mas mais cedo ou mais tarde tinha de ser, tinha de resolver o mistério da rapariga que vi com Ele, não queria estar com uma ideia errada de tudo.
Terminado o almoço e a fase das arrumações, parei para descansar deitada sobre a cama. Enquanto olhava para o tecto, como se fosse algo muito interessante e filosófico, comecei a pensar no que iria dizer para tentar saber a identidade da rapariga mistério. Não queria parecer mal, mas também não queria parecer feliz com tudo. Queria que Ele soubesse que não gostei do que vi.
Decidi pegar no telemóvel, não tinha nada a perder, portanto mandei-lhe uma mensagem. Fiquei ansiosa à espera de uma resposta ao meu simples "Olá". Depois de Ele responder, comecei por explicar calmamente o que tinha visto, e como me tinha sentido no momento... Ele explicou tudo e esclareceu-me quem era a tal rapariga. Fiquei com uma certa vergonha quando descobri que a rapariga mistério era nada mais, nada menos que, a prima dele. Pois, toda a preocupação reduziu-se a nada, ou melhor, a uma certa vergonha, por ter ficado no estado que fiquei. Ele achou piada e gostou que eu tivesse ficado assim. Esclareceu ainda que não fala comigo só por falar, mas sim porque gosta e porque o faço sentir bem. Gostei de saber.
Acabo assim o diário de hoje, um pouco melhor que no de ontem, mais animada e com esperança que tudo corra como espero. Dar tempo ao tempo, o mesmo lema de sempre!

Sem comentários :

Enviar um comentário