sábado, 26 de janeiro de 2013

Montanha da Vida

Todos chegamos a um ponto em que não sabemos se a nossa vida está a andar ou se está simplesmente a tirar umas férias. Chegamos a um ponto em que parece definitivo e que temos de fazer escolhas, das mais difíceis, que decidem o nosso futuro desse ponto em diante. A vida chega a ser tão simples e as respostas passam-nos diante dos olhos, mas nós, com tantos pensamentos negativos, deixamos que a vida nos turve o olhar e nos leve para caminhos escuros, muitos deles sem saída e daí pensamos que não temos outra hipótese se não desistir e dar a corrida por terminada, connosco no último lugar, quase desqualificados. Nada tem de ser assim, tão difícil e tão longe de alcançar, muito pelo contrário.
Eu caí, admito... Nestes dias tenho andado como que em queda livre na montanha da vida. Quem diria que chegava ao fim da montanha e me levantava num instante com forças para a enfrentar e escalar de novo? Ninguém o esperava, mas foi o que aconteceu, tive de o fazer, não por alguém em especial, mas simplesmente por mim. Cheguei ao fundo e reparei que todos os bons momentos pelos quais eu outrora passei, estavam a pairar sobre as colinas da enorme e grandiosa montanha da vida, e para meu espanto, todas as más memórias estavam a desaparecer ao poucos, por entre os escombros de uma parte sombria no fundo da montanha, o sítio onde me encontrava, o tal ponto definitivo com as escolhas difíceis. Cheguei então à conclusão de que todas as escolhas difíceis não existiam mas sim uma grande questão: permanecer no fundo da montanha observando de longe os bons momentos a pairar, ou começar a escalar de novo, deixando para trás as más memórias, chegando às boas e criando novas para preencher os espaços vazios?
Nada mais me era perguntado naquele momento, e num simples piscar de olhos tudo começou a ficar claro na minha cabeça, passou então a existir apenas uma única opção para a resposta daquela pergunta. Essa resposta era avançar, sair daquele lugar escuro e começar a viagem para o topo da montanha que a cada dia se tornava diferente.
A montanha da vida existe para cada um de nós, e cabe a cada um saber enfrentar os desafios da melhor forma. Sim eu caí, mas já estou de volta ao caminho de onde nunca deveria ter saído. Olá estrada da vida, teremos uma longa viagem pela frente, espero.

Sem comentários :

Enviar um comentário