terça-feira, 2 de outubro de 2012

*ba na na*

*só porque não recuso desafios, nem nada do género*
Talvez o nome, afinal, não defina assim tão bem uma pessoa. É importante, sim, mas nem sempre é preciso. Vou tentar apresentar uma pessoa, um rapaz, mas não vou mencionar nomes, não é necessário agora.
Bem, não posso dizer muito sobre ele.. Pois não o conheço muito bem para dizer como é, do que gosta ou como reage a cada situação. Porém, pelo que já conheço, posso afirmar que é simpático, e que tem sentido de humor, parecido com o meu até. Gosta da maior parte dos filmes que eu gosto, e temos várias coisas em comum.
De certa forma, sinto que posso confiar nele, apesar de não ter a confiança que tenho com outras pessoas obviamente. As amizades são coisas que se constroem com o tempo, e que têm dois caminhos, no mínimo.
Umas, começam muito bem e atingem proporções inimagináveis. Criam-se futuros e imaginam-se vidas juntas que supostamente vão durar para sempre. Por fim, acabam, de um momento para o outro sem se saber um motivo ao certo.
Depois há outras que começam com simples coisas, e que vão evoluindo em conversas básicas. Mantêm-se na linha das amizades simples mas verdadeiras. Essas, acabam por durar. E mesmo que a ligação já não exista, a amizade está lá, pois chega um dia em que as duas pessoas se encontram e se recordam com saudade dizendo "Não te via à tanto tempo, que saudades! Como estás?...", essas sim, são as boas amizades.
Assim espero que a nossa seja, uma boa amizade. Acho que não é preciso muito para se construir aquilo a que chamamos "confiança", por isso, com base no dia-à-dia, é possível que ele se torne uma das pessoas em que sei que posso confiar, aconteça o que acontecer.
*Chego a ser tão lamechas, que até eu me espanto, enfim. Tenho destes momentos, mas acho que não faz mal.*
موز

1 comentário :