quinta-feira, 1 de março de 2012

Diário de um rapaz

15 - Março (terça-feira)

      Hoje continuo com isto de escrever um diário, coisa que todos supõem ser só de raparigas. Eu sei que raros são os rapazes a escrever mas ninguém me entende, portanto registo em papel aquilo que sinto e penso.
      Como acontece todas as terças-feiras, vi a Raquel, porém ela nem reparou em mim, nunca repara e nunca irá reparar. Se ela soubesse que quando estou na sua presença o mundo pára, se ela soubesse que é nela que penso quando vou dormir e quando acordo, se ela soubesse que a minha felicidade depende da dela, talvez me compreendesse, ou não. Mas pronto, ela é que perde. Pelo menos eu convenço-me disso, talvez para me sentir minimamente feliz.
      Ao fim da tarde fui convidado para uma partida de futebol que decidi aceitar como é óbvio. Como sempre perdemos, pois os rapazes do bairro do lado são viciados e não fazem mais nada da vida. Admito que jogam melhor que eu, mas se calhar se passasse os dias a treinar tal como eles fazem, fosse o melhor dos melhores aqui do bairro.
      Com tudo isto, acho que o balanço deste dia é positivo, tirando as coisas com a Raquel que não andam nem desandam e me metem assim, desanimado.

Sem comentários :

Enviar um comentário