terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Cartas para alguém - I

     Por vezes perdemos coisas e até pessoas por motivos estúpidos e egoístas. Não nos apercebemos da sua importância e não damos o devido valor. Mas isso já está farto de ser dito e todos continuam a cometer os mesmos erros. Prova-se então que a teoria de que uma pessoa aprende com os erros que comete está completamente certa. Se soubesse-mos dar valor ao que temos, nunca chegávamos a sentir a sua perda. Mas infelizmente o ser humano é orgulhoso, não sabe ver e admitir que precisa dos outros para se sentir bem consigo mesmo.
      O ser humano é egocêntrico e não reconhece o valor dos que o rodeiam. Assim, prefere estar sozinho do que admitir que necessita de outro alguém. É esta a realidade em que vivemos, eu não sou excepção. Não dou valor às pessoas que me acompanham e que me querem ver bem, dou valor a coisas sem importância, preocupo-me demasiado com uns e pouco com outros, quando no fundo me deveria preocupar com os que realmente merecem. Perco e volto a perder quem mais me faz falta, sem motivo algum.
      Desculpa, se não dei valor àquilo que tinha e se não me esforcei como devia. Desisti, eu sei e não me arrependo disso porém gostava que soubesses que nunca deixei de te dar valor. Peço desculpa a mim mesma pois não soube lidar com toda a situação, peço desculpa a ti, mil vezes, pois sei que tive culpa.
     Cada palavra que disse foi pensada e bem ponderada antes de ser entregue, não queria cometer erros. Acho que foi isso que  arruinou tudo, planeei demais. Pensei em demasia e por vezes nem disse bem o que pensava. A única coisa que tenho para te dizer é que lamento que tenha sido assim. Não era minha intenção, de todo. Desculpa a sério.

Muitos beiijinhos,
Cátia.

Sem comentários :

Enviar um comentário